Educação como pano de fundo!

Sociologicamente a educação deveria estar entre as prioridades nas políticas públicas. Deveria ser o pano de fundo em todas as sociedades. As diferentes culturas, como as indígenas, por exemplo, tratam a educação de suas crianças e jovens com muita seriedade. Trata-se de preservar a própria sociedade indígena. Por que nas sociedades como a brasileira (que tenta incluir as diferenças) ainda está em passos de tartaruga e só apostando na educação quando os jornais noticiam fracassos e fiascos da educação? Precisamos virar notícia para termos uma política educativa de qualidade? Ainda aguardo a inclusão digital da educação nesses primeiros anos do novo século.

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Feliz Dia dos Mestres

Para todos aqueles que São Especiais:

PESSOAS ESPECIAIS

A você, Pessoa muito Especial:

Obrigada por fazer do nosso

dia a dia na escola não um trabalho

qualquer, mas um dia de contentamento.

Por fazer com que todos que aqui estão

se sintam pessoas de valor e valorizados;

por nos ajudar a descobrir o que fazer

de melhor e, assim, fazê-lo cada vez melhor.

Obrigado por afastar os obstáculos,

que sem VOCÊ não conseguiríamos.

Por resolver o que achávamos complicado...

Por ser uma PESSOA digna de nossa total

confiança e a quem podemos recorrer

quando a vida se mostrar difícil...

Obrigado por nos convencerem

de que éramos melhores do que suspeitávamos.

E muito obrigada por ajudarem a ESCOLA a SER

o que ela pretende ser:

UM ESPAÇO DE EDUCAÇÃO PRAZEROSO,

EFICIENTE E FELIZ

"SUPER PROFESSORES"
Abraços, Angela dos Santos Araújo

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Dia do Amigo!


Amigo é coisa para...
Tomar uns drinks juntos e cair na farra!!!!!!!!!!!
Eu não bebo, mas vou ficar olhando!
Um grande beijo no coração e Muita Paz para Todos!
video


quarta-feira, 27 de junho de 2012

Joguinhos de Língua portuguesa - ajudando a memorização

Decoreba gostosa!
Uma das formas mais gostosas de se fixarem os conteúdos de língua portuguesa é através de joguinhos ou como são mais conhecidos no meio das tecnologias usadas na educação: OAS – Objetos de Aprendizagem.
Não existe nada mais desestimulante e chato do que “decorar” uma lista infindável de nomes, palavras, etc. que você nem sabem quando e se algum dia vai usar.
Mas, como não sabemos o dia de amanhã é bom termos algumas listas na pontinha da língua.
A garotada hoje em dia adora uma desculpa para ficar na frente do computador ou qualquer mídia que o leve a desafiar o cérebro.
Recomendo para os professores e pais que gostam de usar novas formas de estudo para os alunos (ou filhos) o seguinte site de onde tirei o joguinho abaixo.
Vale a pena visitar e conferir. 
                                   


Mas se você gostaria de ter um jogo específico para sua aula mande e_mail para:

E peça logo o seu!


Beijocas,
Angela Santos

domingo, 10 de junho de 2012

Edilim no Blog

O que parece ser um problema para muitos amigos apreciadores de Novas Tecnologias na Educação começa a ter uma luz no finzinho do túnel.
Aprendi há muitos anos com um professor de Corel Draw, que devemos "fuçar" (termo técnico em Tecnologia da Comunicação e Informação) para aprendermos.
Bem, fucei alguns recursos e lá vai:
Experiência 1: Edilim no Blog!


Espero que gostem da ideia.
Não é minha, achei super legal.
Confiram como fazer clicando aqui!

Abraços, Angela dos Santos Araújo

domingo, 3 de junho de 2012

Usando o Kerpoof para o Rio + 20!

Em virtude da proximidade com o Evento Rio + 20, resolvi dar uma "mexidinha" no Kerpoof.
Não é nenhuma obra de arte, mas ficou bem divertidinho.

Para saber mais sobre o kerpoof acesse aqui!

domingo, 27 de maio de 2012

Vocês conhecem o KERPOOF?

Estou fazendo um tutorial para o KERPOFF, um programa on line, GRATUITO, que faz muitos trabalhos bacanas. É recomendado para todas as idades. Na educação tem um grande potencial.
Confiram o E-BOOK que acabei de fazer.
Como todo SOFTWARE GRATUITO o ponto negativo do KERPOOF é que em inglês, não aceita pontuação ou palavras portuguesas que se escrevem com Ç, por exemplo.
Mas isso não impede que se explore, divirta ou que consiga usá-lo em classe.
Confiram no Link!

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Dica do Mês: Votação da 2ª Biblioteca do Professor 2012


A Secretaria Municipal de Educação abre a votação da 2ª Biblioteca do Professor de 2012. O professor poderá votar em um título de Literatura Brasileira e outro de Literatura Estrangeira, de acordo com uma lista de indicações. Do dia 16/05 à 25/05.

sábado, 12 de maio de 2012

Um Dia Muitos Especial...O Dia das Mamães!

Para todas as Mamães, Um dia Especial só para Vocês: Um Domingo para serem Festejadas, Amadas, Lembradas, Curtidas, Abraçadas, Beijadas!
video

domingo, 22 de abril de 2012

“CARACTERÍSTICAS DE UM BOM PROFESSOR” CONSTRUINDO O SEU MARKETING PROFISSIONAL!



Introdução:
Como se tornar um profissional “antenado”, “conectado”, “afinado”, “competente”, “interessado”, e, por que não, “um quase especialista” em seu trabalho nos tempos atuais?
Objetivos do “marketing” profissional:
Orientar, incentivar e colaborar para maior utilização das Novas Tecnologias da Informação e Cominicação (NTIC’s) no trabalho do professor e dar visibilidade ao trabalho desenvolvido.
Intensificar o trabalho de incorporação das novas tecnologias no universo escolar melhorando a qualidade do ensino e da aprendizagem.

sábado, 7 de abril de 2012

Tempos Modernos versus Educação à Distância


A invenção do livro e de outros instrumentos, como a televisão e o rádio foram adotados pelo homem ao ensino. Nenhum deles nasceu de uma necessidade implícita da educação, mas uma vez inventados, tornaram-se indispensáveis. Até bem pouco tempo, o rádio era instrumento privilegiado para a educação de grandes massas da população que ainda não tinham recursos para comprar o aparelho de televisão.
Porém a introdução desses recursos não se deu com fácil aceitação. Sempre houve e haverá resistência ao novo, ao desconhecido.
Quase sempre o que se está em debate não é apenas o instrumento, mas também a forma de como empregá-lo. Outro ponto de resistência é o domínio sobre o recurso. Saber como, para quê e por que usa-lo.

quinta-feira, 5 de abril de 2012

UMA PÁSCOA COM UMA VERDADEIRA RENOVAÇÃO EM SUAS VIDAS!

Que este 2012 seja o início de uma NOVA ERA: 
PAZ, HARMONIA, SAÚDE, AMOR, FELICIDADE!
Que a ALTERIDADE encontre eco em seus corações!

sábado, 31 de março de 2012

"O Papel do Professor diante das Mudanças que estão ocorrendo – Ato 1"


As novas Tecnologias da Informação e da Comunicação estão transformando nossa maneira de nos comunicarmos, no trabalho, nas decisões, enfim, o homem está vivendo transformações que até bem pouco tempo eram temas para filmes de ficção científica. A Escola não pode ignorar o que se passa no mundo, senão a Escola se desqualificará.
Na escola de ensino fundamental, a informática geralmente não é proposta como uma disciplina a ser ensinada por si mesma, um conjunto de saberes e habilidades constituídos aos quais se atribuiria uma parte da carga horária. Isso porque as competências esperadas dos professores dessa etapa não são da ordem de uma "didática da informática".
Que espaço conceder às novas tecnologias quando não se visa a ensiná-las como tal? São eles simplesmente recursos, instrumentos de trabalho como o quadro-negro? Espera-se de seu uso uma forma de familiarização,transferível a outros contextos? Pode-se esperar que, ao utilizá-lo nesse âmbito, os alunos aprendam a fazê-lo em outros contextos. A escola tem dificuldades para atingir seus objetivos atuais, mesmo os mais fundamentais, como o domínio da leitura e do raciocínio.
Formar para as novas tecnologias é formar o julgamento, o senso crítico, o pensamento hipotético e dedutivo, as faculdades de observação e de pesquisa, a imaginação, a capacidade de memorizar e classificar, a leitura e a análise de textos e de imagens, a representação de redes, de procedimentos e de estratégias de comunicação.
A competência dos professores consiste sem dúvida, em utilizar os instrumentos multimídia já disponíveis, do DVD à animações ou a simulações mais sofisticadas. Os professores que sabem o que as novidades tecnológicas aportam, estando qualificados e embasados, podem decidir, com conhecimento de causa, dar-lhes um amplo espaço em sua classe, ou utilizá-las de modo bastante marginal. Em 5 ou 10 anos, as tecnologias terão evoluído ainda mais. Os especialistas da indústria praticam a "vigília tecnológica"; em outros termos, mantêm a atenção permanentemente voltada ao que se anuncia, para não se fecharem nos instrumentos de hoje. Melhor seria que os professores exercessem antes de tudo uma vigília cultural, sociológica, pedagógica e didática, para compreenderem do que será feita a escola de amanhã, seu público e seus programas. Se lhes resta um pouco de disponibilidade, uma abertura para o que se desenrola na cena das Novas Tecnologias em Informação e Comunicação NTIC's seria igualmente bem-vinda.

Abraços, Angela dos Santos Araújo

sábado, 17 de março de 2012

Planejando uma aula digital: Você está preparado?

Antes de começarmos a pensar no planejamento de "aulas digitais" vamos ver até que ponto você está preparado para o uso das Novas Tecnologias da Informação e Comunicação!
O professor é um elemento altamente estratégico na educação, mas, por outro lado, pode ser facilmente dispensável.
No primeiro caso, o seu papel é o de auxiliar os alunos a aprender e a selecionar melhor as suas alternativas de recursos de acesso à informação. Exemplo: internet, televisão, jornais, livros, revistas, etc.
No segundo caso, o professor precisará estar constantemente atualizado para não se tornar um elemento que possa ser substituído, ou até mesmo descartado.
Assim como o processo de conhecimento do aluno avança em série e graus de escolaridade, seus professores também devem ter uma especialização maior.  Como as informações e novos conhecimentos estão sendo construídos ou evoluindo o professor não pode deixar de estudar e estar à frente de seus alunos sendo o primeiro a apresentar as novas informações ou o primeiro a mostrar esse novo conhecimento.
Este fenômeno leva a uma alteração significativa no quadro de formação dos professores. Estes precisam de uma constante capacitação e a atualização em seus conhecimentos. Os professores que se recusarem a essa reciclagem poderão ser facilmente substituídos.
Assim, as mudanças que estão ocorrendo na educação e que precisam ser vivenciadas pelos alunos nas escolas passam pelo uso dos computadores, isto é, das Novas Tecnologias da Comunicação e Informação (NTIC’s), que, ao que tudo indica, parecem deter o potencial estratégico para levar em tempo real as mudanças pelas quais o mundo passa. E assim através delas o professor pode rapidamente passar aos alunos essas informações e conhecimentos, fazendo com que o lapso de tempo não exista mais na educação e a escola não se transforme em ”museus” de informações, ao contrário, ensine os alunos a enfrentarem a vida que está sendo vivida. O professor será um orientador de novas formas de ensino/aprendizagem, sendo aquele que intermediará as informações e os meios de acesso a essas informações que melhor satisfaçam às necessidades da turma naquele momento.
Porém, sistema educacional nenhum pode obrigar os professores a se reciclarem ou utilizarem essas NTIC’s. O seu uso será uma opção, uma decisão do professor frente aos seus novos rumos de trabalho e daquilo do que ele considera educação e do que ele considera ensino de qualidade.
Deverá responder perguntas como: o que eu preciso aprender sobre o assunto, até que ponto preciso estudar as Novas Tecnologias da Informação e Comunicação, qual o tipo de meio midiático é melhor para eu me comunicar com meus alunos e pares, qual o grau de conhecimento preciso adquirir com essas mídias, o que preciso mudar em mim mesmo para atender a esse perfil de profissional que interage com as NTIC’s, considero o assunto realmente importante para dedicar meu tempo nele, aprender sobre o tema vai melhorar meu desempenho como professor, minhas aulas ficarão melhores, usar as NTIC’s em sala tornarão meus alunos mais interessados e aprenderão mais e melhor, tenho a motivação pessoal necessária para isso, preciso aprender língua(s) estrangera(s), tenho a tolerância no convívio com essas mídias, tenho a persistência necessária para começar e terminar esses estudos,  já possuo uma visão interdisciplinar utilizando as NTIC's junto a minha disciplina?
Depois de respondidas essas e outras questões, que o professor julgar relevantes, ele poderá optar em usar ou não as NTIC’s em seu favor.
Abraços,  Angela dos Santos Araújo


domingo, 11 de março de 2012

Como usar Objetos de Aprendizagem(OAs) e Aulas digitais nas escolas?

(Clique na imagem e acesse o Objeto de Aprendizagem de História)

Para que uma instituição escolar introduza a informática, é preciso ter em primeiro lugar um projeto político pedagógico, onde serão discutidos os objetivos de sua utilização como ferramenta educativa e a escolha do software educativo que possa ser usado para ajudar a atingir mais fácil e eficientemente os objetivos educacionais, não deixando, portanto, que o computador se torne um brinquedo.
Sem uma perspectiva do que queremos ao usarmos aulas digitais ou OAs, cairemos na mesmice do quadro branco e do livro escolar, só que agora de forma mais sofisticada.
A escola precisa de professores capacitados e disponibilizados a encarar esse novo ícone que é a informática educativa sem medo de que algum dia seja substituído por computadores. É preciso então que haja uma integração entre o meio escolar e o corpo docente, desenvolvendo assim a sociabilidade dos alunos e a familiaridade dos professores com o mundo da tecnologia.
Um grande conhecimento da sua disciplina, sua filosofia e quais as correntes teóricas metodológicas que estão por trás de sua prática pedagógica é fundamental para “colorir” as aulas com esses recursos.
O grande desafio para a educação deste século é fazer com que a escola se sintonize com o Mundo Contemporâneo. Para isso será preciso muita observação, reflexão e debate, com urgência e presteza diante da velocidade com que a técnica e a tecnologia produzidas transformam em obsoletos os sistemas até então em vigor.
A Educopédia vem desenvolvendo Aulas Digitais para ajudar essa conexão: escolas públicas X educação de qualidade. O portal disponibiliza desde os planejamentos de aula por série, disciplina e tema, até o seu desenvolvimento passo a passo. 
Acesse o portal: Clique na Imagem!

Próximo assunto: planejando uma aula digital.
Angela dos Santos Araújo

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

A Educação frente as novas tecnologias: modismo ou necessidade? Continuação "O Computador na Sociedade do Conhecimento"

Bem-vindos amigos, ao mundo real depois da deliciosa ociosidade do carnaval. Descanso, folia, vida ao ar livre...Enfim! A vida continua...
Então, começaremos  a semana falando sobre o livro que li de José Armando Valente:
O livro foi organizado pelo Prof. Dr. José Armando Valente em 1999, reunindo um conjunto de artigos de cunho teórico, cujo foco é o papel que a escola pode ter na preparação dos estudantes para as mudanças do mundo contemporâneo, esta publicação fundamenta as ações de formação de educadores na área de Informática na Educação e contextualiza a abordagem pedagógica do Nied - O Núcleo de Informática Aplicada à Educação – (http://www.nied.unicamp.br/) .

A preocupação do livro é mostrar, depois de um levantamento histórico da introdução da informática aplicada na educação, sobre o que esbarra na implantação de informática educativa nas escolas. Elencando o professor como o elemento articulador – facilitador da aprendizagem, propõe a capacitação dos mesmos para o uso do computador em suas atividades na sala de aula. Segundo Valente:
Na verdade, a introdução da informática na educação, segundo a proposta de mudança pedagógica, como consta no programa brasileiro, exige uma formação bastante ampla e profunda do professor. Não se trata de criar condições para o professor dominar o computador ou o software, mas sim auxiliá-lo a desenvolver conhecimento sobre o próprio conteúdo e sobre como o computador pode ser integrado no desenvolvimento desse conteúdo. Mais uma vez, a questão da formação do professor mostra-se de fundamental importância no processo de introdução da informática na educação, exigindo soluções inovadoras e novas abordagens que fundamentem os cursos de formação. Além disso, não podemos colocar a responsabilidade da implantação da informática na escola somente nas costas do professor (O computador na Sociedade do Conhecimento, p.12).
A proposta de utilização da informática para o processamento da informação e a construção de conhecimento dá origem a novas propostas pedagógicas, onde, essa nova abordagem inovadora da educação deve ter a responsabilidade compartilhada com políticas públicas, gestores e toda a comunidade escolar.
Se a sociedade sabe o que pode esperar e contar de uma educação informatizada, ela poderá ser a primeira a exigir dos seus governantes que a financie e coloque em prática. No livro Valente menciona que o Programa Brasileiro para a implantação da Informática Educativa é bastante ambicioso, pois implica em ter o computador como recurso importante nesse processo de mudança. Sinaliza que será preciso a criação de ambientes de aprendizagem que enfatizem a construção do conhecimento e não a instrução. Isso implica em uma nova abordagem pedagógica e de se entender o computador como uma nova maneira de representar o conhecimento. Ora, essa “pretensão” brasileira implica em um redimensionamento dos conceitos já conhecidos e possibilidade da busca e compreensão de novas ideias e valores.
Como diz Valente:
Usar o computador com essa finalidade requer a análise cuidadosa do que significa ensinar e aprender bem como demanda rever o papel do professor nesse contexto. A formação do professor deve prover condições para que ele construa conhecimento sobre as técnicas computacionais, entenda por que e como integrar o computador na sua prática pedagógica e seja capaz de superar barreiras de ordem administrativa e pedagógica. Essa prática possibilita a transição de um sistema fragmentado de ensino para uma abordagem integradora de conteúdo e voltada para a resolução de problemas específicos do interesse de cada aluno. Finalmente, deve-se criar condições para que o professor saiba recontextualizar o aprendizado e a experiência vividas durante a sua formação, para a sua realidade de sala de aula compatibilizando as necessidades de seus alunos e os objetivos pedagógicos que se dispõe a atingir. Além do professor, é necessário trabalhar também com outros segmentos da escola, como a administração e a comunidade de pais, para que possam dar apoio e minimizar as dificuldades de implantação de mudanças na escola. Essas mudanças são necessárias para que a informática e outras soluções pedagógicas inovadoras possam efetivamente estar a serviço da formação de alunos preparados para viver na sociedade do conhecimento (O computador na Sociedade do Conhecimento, p.13).
Bem, o livro foi organizado em 1999, isto é, passaram-se 13 anos.
“Quem tem conhecimento tem PODER”!
Nós professores estamos preparados para ajudarmos nossos alunos a viverem nessa sociedade do conhecimento?  

Leiam o livro, vale a pena!
Abraços, Angela dos Santos Araújo

domingo, 12 de fevereiro de 2012

A Educação frente as novas tecnologias: modismo ou necessidade?

Até que ponto os professores podem se dar ao luxo de observarem "de longe" o desenvolvimento e as novas descobertas tecnológicas? Ainda é cedo para enfrentar as diferentes mídias e as implicações teórico-metodológicas das mesmas?
A informática faz parte da cultura contemporânea e a escola tem o papel fundamental de propiciar o acesso dos alunos a essa tecnologia e às suas linguagens. É principalmente através da escola, que antigas e novas gerações têm oportunidade de participar, compreender, decidir e de sentirem-se autônomas em relação à Tecnologia da Informação – TI, realizando obras sofisticadas, concretizando projetos antes apenas imaginados, estabelecendo novas relações com o mundo, ampliando a sua participação e interação cultural, intelectual, social, profissional e política. A tecnologia é um direito do cidadão contemporâneo, na medida em que possibilita a ele conhecer e utilizar novas ferramentas e novas linguagens, fundamentais para o domínio e a autonomia na convivência e no trabalho com o mundo atual e globalizado.
Em breve continuaremos a conversa. Por hora pensem à respeito! 
Abraços, Angela dos Santos Araújo

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Movie Maker- Tutorial básico


O programa Windows Movie Maker é a melhor opção para quem quer editar vídeos e não tem tempo para aprender como utilizar programas complicadíssimos.
Com o Movie Maker pode-se adicionar efeitos de transição nos filmes, textos e efeitos de áudio.
O programa é de fácil utilização, e o que o torna a melhor opção não é somente isto, mas sim o fato dele vir grátis junto ao pacote de programas do Microsoft Windows.
Sua tradução literal para o português é Criador de filmes do Windows. Além disso, possui suporte para os sistemas operacionais: Windows ME, Windows XP, Windows Vista e Windows 7.

Aprenderemos a usar o programa desde o início do Windows:
Assista ao vídeo e veja como!
video


Mais detalhes você encontra na apostila! Clique na Imagem!


Abraços, Angela dos Santos Araújo

domingo, 22 de janeiro de 2012

Em 2012- Inteligências múltiplas – socializando o seu EU

O ano de 2012 mal começou e já estamos preocupados em como ele poderá ser prazeroso - Pelo menos, pedagogicamente falando!


O texto trata de como a mídia e as tecnologias da informação e da comunicação se transformaram em grandes mediadores na sociedade atual. Mas, nem toda a população está plenamente preparada para lidar com a grande quantidade de informações que circulam na nova realidade. Pois essa informação, compilada em “conteúdo” a serem trânsitos pelo sistema educacional não manteve o ritmo com as expectativas da sociedade e as necessidades para o mundo em rápida mutação do século XXI. Assim procuraremos responder a seguinte pergunta:
“Ambiente de trabalho cooperativo e colaborativo: como criar um foco de aprendizagem individualizada nesse contexto?”
Introdução
A fim de ter sucesso no processo educativo neste século XXI as escolas devem se preparar para terem um corpo docente  que deverão ser aprendizes ao longo da vida.
A educação para esse século é um desafio que exige uma mudança pedagógica para transmitir um corpo de conhecimento que não pode mais ser ensinado como era: decorar fatos, locais e nomes, por exemplo. É preciso compreender porque se deu o fato, suas causa, consequências, acertos e erros. Assim, elaborar uma forma de tornar situações semelhantes às já passadas em acertos e sucessos.
Com base na Psicologia Cognitiva, o professor pode determinar todas as habilidades necessárias para liderar até o comportamento desejado e fazer os alunos aprenderem, todos eles, para se tornarem alunos ao longo da vida. 
A partir da divisão das tarefas e responsabilidades até sua apresentação final.
Avanços em tecnologia educacional contribuíram e apoiaram este movimento para a abordagem cognitiva. Com diversos softwares e a internet de fundo que auxilia na criação de um ambiente multimídia para aprendizagem colaborativa.
A aprendizagem pela descoberta é uma abordagem através da qual os alunos interagem com seu meio ambiente explorando e manipulando objetos, discutindo entre seus pares e realizando seus próprios experimentos até a chegada de um consenso ou acerto. A ideia é que os alunos são mais propensos a lembrarem-se dos conceitos que descobrem por conta própria. 
Os professores descobriram que a aprendizagem pela descoberta é a mais bem sucedida quando os alunos têm conhecimento prévio e são estimulados a partirem para algumas experiências estruturadas. Isto é, experiências previamente planejadas pelos seus “tutores” (professores).
A tecnologia moderna pode agora fornecer um ambiente virtual para os alunos explorarem e fazerem seus experimentos de forma coordenada e previamente estabelecida, com estímulos e desafios para, não encontrarem facilmente as respostas, mas perceberem que depois de tentativas, sempre replicadas, chegarão ao sucesso. Esse tipo de ambiente é encontrado na EDUCOPÉDIA.
Esse tipo de mentalidade, aberta, inovadora, dará aos alunos a oportunidade de compartilhar uma ampla variedade de tipos de inteligência aumenta sua confiança e crença em si mesmos, como aprendizes inteligente e competente, que não importa o que a tarefa que eles serão capazes de aprender a fazê-lo.
Assim, os professores, ajudando-os a desenvolverem as habilidades necessárias para se tornarem alunos ao longo da vida vai requere dos mesmos, isto é dos profissionais da educação envolvidos, uma abordagem diferente para o ensino e a aprendizagem. 
Os métodos de ensino usados até recentemente como a transmissão e recepção do conteúdo, embora ainda eficaz para algumas habilidades, está dando lugar a uma abordagem mais cooperativa. Esta abordagem, com uso das novas tecnologias, que envolve os alunos e os estimula a trabalharem juntos em direção a objetivos comuns. Os atuam professores servindo como “especialista”', e “facilitadores” da aprendizagem, em determinados momentos  e, às vezes, simplesmente saindo do caminho (“humildade pedagógica”) e deixando os alunos descobrirem as coisas por si mesmos. 
Qual é o papel das Novas Tecnologias da Informação e da Comunicação neste movimento? A resposta está em: “o quanto, eu – educador- estou disponível para ousar e me apropriar na mesma”!
A plataforma ou “foco” priorizado estará apoiando as escolhas que os professores fazem a cada passo do caminho: fornecendo o ambiente, o conteúdo, a experiência, e o lugar para os alunos “juntarem tudo” para partilhar com outros estudantes, e com o mundo.

Angela dos Santos Araújo
Professora da Rede Municipal de Educação do Município do Rio de Janeiro
Educopedista – Designer de Objetos de Aprendizagem